A ANSIEDADE E A TENSÃO PODEM DESENCADEAR PROBLEMAS GÁSTRICOS

Mesmo sendo comum ouvirmos que a alimentação desregrada é uma das principais causas dos problemas gastrointestinais, o emocional também possui forte correlação para seu surgimento.


 

A ansiedade e a tensão são estados psíquicos comuns presentes no dia a dia do indivíduo. Mas o mal-estar que começa na mente pode acabar desenvolvendo sintomas físicos, como problemas digestivos. Mesmo sendo comum ouvirmos que a alimentação desregrada é uma das principais causas dos problemas gastrointestinais, o emocional também possui forte correlação para seu surgimento.

 

Para esclarecer sobre o problema, o gastroenterologista do Hospital Agenor Paiva, Fábio Dantas, responde algumas dúvidas frequentes entre os pacientes dentro do consultório.

 

Hospital Agenor Paiva: A ansiedade e a tensão possuem relação com os problemas gástricos?

Fábio Dantas: Sim, problemas gastrointestinais têm muita correlação com erros alimentares e em especial transtornos emocionais ansiosos e depressivos. Muitas vezes o estresse do dia a dia já gera desconfortos na digestão, embora nem sempre seja fácil comprovar essa origem.

 

HAP: Quais as maiores queixas relatadas pelos pacientes no consultório?

Fábio Dantas: As gastrites e úlceras são os problemas mais frequentes encontrados na prática clínica. Mas as neoplasias gastrointestinais (câncer) têm se tornando muito frequentes.

 

HAP: E os sintomas apresentados?  

Fábio Dantas: Os sintomas mais frequentes dos problemas gastrointestinais são desconfortos na digestão, como estufamento, empaixamento, azia, dor, vômitos, perda de peso, diarreia e sangramento nas fezes.

 

HAP: Como descobrir que o problema está relacionado a esses fatores?

Fábio Dantas: Os sintomas levam o paciente ao médico que, na investigação da causa muitas vezes precisam de exames complementares, como exames de laboratório, ultrassom, endoscopia digestiva alta e colonoscopia.

 

HAP: As patologias acometem pessoas de qual idade?

Fábio Dantas: Podem acometer pessoas de qualquer idade, desde crianças a idosos. Os mais graves costumam acontecer após os 50 anos, idade que se recomenda buscar o médico, independente de sintomas, para avaliação preventiva.

 

HAP: Você tem percebido aumento dos casos de doenças gastros?

Fábio Dantas: Sim, eles têm aumentado e podemos atribuir isso a qualidade de vida, ou seja, a alimentação errada, comer com pressa sem a correta mastigação e ao estresse da vida urbana.

 

HAP: Existe maneira de prevenir?

Fábio Dantas: Comer alimentos saudáveis, tentar mastigar melhor e sem pressa, praticar atividades físicas aeróbicas, manter um peso corporal adequado, fazer exames regulares e, a partir dos 50 anos iniciar exames preventivos são alguns dos hábitos que ajudam. Muitas vezes as mudanças de hábitos já corrigem boa parte dos sintomas. Em casos de sintomas persistentes, mais que 4 a 8 semanas sem melhora, costumamos indicar exames complementares e tratamento de acordo com os resultados. 

 

HAP: Qual o risco do paciente se automedicar?

Fábio Dantas: O risco da automedicação existe sempre, desde mascarar sintomas que posteriormente precisariam ser identificados e podem passar despercebidos, até o uso de algum medicamento incorreto levando a danos maiores.

 

HAP: Após tratamento, se o paciente se descuidar novamente o problema pode voltar?

Fábio Dantas: Sim, os sintomas podem retornar caso o paciente não modifique seus hábitos alimentares. Habitualmente informamos isso nas consultas.